sábado, 25 de abril de 2009

A solidão amiga.

A noite chegou, o trabalho acabou, é hora de voltar para casa. Lar, doce lar? Mas a casa está escura, a televisão apagada e tudo é silêncio. Ninguém para abrir a porta, ninguém à espera. Você está só. Vem a tristeza da solidão... O que mais você deseja é não estar em solidão...

Mas deixa que eu lhe diga: sua tristeza não vem da solidão. Vem das fantasias que surgem na solidão. Lembro-me de um jovem que amava a solidão: ficar sozinho, ler, ouvir, música... Assim, aos sábados, ele se preparava para uma noite de solidão feliz. Mas bastava que ele se assentasse para que as fantasias surgissem. Cenas. De um lado, amigos em festas felizes, em meio ao falatório, os risos, a cervejinha. Aí a cena se alterava: ele, sozinho naquela sala. Com certeza ninguém estava se lembrando dele. Naquela festa feliz, quem se lembraria dele? E aí a tristeza entrava e ele não mais podia curtir a sua amiga solidão. O remédio era sair, encontrar-se com a turma para encontrar a alegria da festa. Vestia-se, saía, ia para a festa... Mas na festa ele percebia que festas reais não são iguais às festas imaginadas. Era um desencontro, uma impossibilidade de compartilhar as coisas da sua solidão... A noite estava perdida.

"Não importa o que fizeram com você. O que importa é o que você faz com aquilo que fizeram com você."

Amei esse texto achei nesse site,cara expressa exatamente o que sinto!!
http://www2.uol.com.br/aprendiz/n_colunas/r_alves/id300602.htm

3 comentários:

WilliaM disse...

Beloo Blog!

osanormaiis.blogspot.com

Michele disse...

Oi valeu !!

jaque, jaque... disse...

A pior solidão é aquela que cria raízes dentro de nós e acabam nos afastando daquele sentimento de humanidade. Aquela tal coisa de "você conta comigo, eu conto com você" e nos torna um poço de mágoas, isolados do que acontece do lado de fora da gente.
Mas quando a solidão serve para que a gente aprenda certas lições ou quando nos dá a consciência de algo, quando isso estreita o nossos laços com nós mesmos e nos muda de alguma forma, toda e qualquer solidão é bem vinda.

Adoro seu Blog, Mih!
Escreve mais, to com saudade dos seus textos novinhos em folha.
:)