domingo, 12 de abril de 2009

Encontro


Eles se conheceram por acaso,conversaram
durante algum tempo sobre amenidades,o sol
a lua, o frio, o dia a dia,sempre distantes
suas palavras eram passadas apenas pelo frio
monitor,e mesmo assim eles transmitiam calor
um ao outro.

Até que um dia decidiram encontrar-se,finalmente
marcaram um encontro...

No dia marcado ela estava lá,ansiosa,coração disparado,
na expectativa de encontra-lo ,louca para poder
realizar tudo que virtualmente planejaram juntos...

Ele aparece,o frio no estômago e uma certa tímides
é nítido em ambos.Eles começam a passear de mãos dadas
pelo parque,as mãos dele sobre as dela a deixa tremula,
a expectativa é visível em ambos...caminham até encontrar
um local onde possam conversar tranquilamente...sentam-se
olhos nos olhos e agora já é impossível evitar.
Ele passa suas mãos pelo rosto dela,entrelaça
suas mãos nos não tão longos cabelos da garota
e com um gesto só, a puxa pela nuca para perto de si.

A respiração de ambos está ofegante,ela para provocá-lo
não se entrega de todo,resiste,passa sua língua pelos lábios dele,
mordisca devagar e finalmente se entrega ao beijo tão esperado
pelos dois,um beijo que no inicio é suave,vagaroso,mas logo
aumenta o compasso,o coração de ambos dispara e um abraço longo
encerra a expectativa.
Mais calmos,ele repousa sua cabeça no colo dela ,enquanto ela
afaga seus cabelos e desenha com os dedos seus lábios,seus olhos.
Conversam...se acariciam...nem vêem a hora passar.
Decidem então caminhar um pouco mais, o sol começa a se por,
a penumbra já está entre as árvores e o parque antes cheio
de pedestres agora está cada vez mais vazio...
No caminho ela, o puxa pelo braço em uma atitude repentina,
o coloca imprensado no tronco de uma grande árvore.
O corpo dela repousa sobre o dele,ela prende suas mãos
e vagarosamente começa a beijá-lo, no pescoço,na orelha, nos lábios.

A respiração de ambos fica ofegante,ele está meio zonzo,
pois foi pego de surpresa e também pelos carinhos constantes.
Em uma súbita reação se livra,a pega em seus braços a beija...
beija com um apetite insasiavél,os corpos juntos respirando
no mesmo compasso transmitem o que cada um sente naquele momento.
É loucura, eles pensam, mas a atração entre eles acaba sendo maior,
os beijos cessam e ela recosta sua cabeça em seu toráx,
ofegante ainda recobrando suas forças,ele da mesma forma
espera que esse momento não acabe.

No fim o momento da partida...olhos nos olhos,beijos, abraços
e a incerteza de um novo encontro.

Um comentário:

jaque, jaque... disse...

A-d-o-r-e-i!
Cara, que vontade de sentir tudo isso, "juntodeumavez" assim!
Parece que essa é a melhor maneira de nos sentirmos vivos!